quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Explicação básica sobre os tipos de relações D/s


Muitas vezes você houve falar de que mulher que gosta de submeter só na sessão não é submissa, ou que dominador que só domina na sessão não é dominador. Sinto muito dizer mas quem sai espalhando isso por ai deve ser alguem que se julga superior, porém não abre os olhos e nem faz ideia de que sim, existem pessoas cujo prazer consiste só na sessão.

A tríade que descreve o estilo acima é a EPE (Erotik Power Exchange) que significa troca de poder erótico. Nessa tríade a pratica se resume a somente sessões, onde ambos podem manter qualquer relacionamento fora da sessão sendo amigos ou até mesmo namorados, por esse motivo julgamentos as pessoas que preferem essa tríade e seguem uma base corretamente são desnecessários. Podemos observar que muitos switchers acabam optando por essa tríade também, talvez pela dificuldade em encontrar um parceiro compatível para que possa ter algo a mais do que sessões ou até mesmo por se satisfazer em sessões.

PPE ( Partial Power Exchange) significa troca parcial de poder. Nessa tríade o bottom é submisso na sessão e fora dela também, existe o sentimento de posse, podemos dizer que também é aquela relação 24/7 onde o submisso pode escolher o que fazer na hora que achar necessário, não deve satisfação ao top de tudo que faz, pode escolher por exemplo que roupas vestir, o que comer, pra onde sair.

Mais intenso que PPE vemos a relação TPE (Total Power Exchange), que significa troca total de poder, o bottom é escravo na sessão e fora dela, deve satisfação ao top de tudo que faz, necessita de autorização para coisas que podem parecer algo simples, não possui segredos com seu dono, pode possuir poucos limites e esses se explorados pelo dono deve ser com maestria, só toma iniciativas quando lhe for ordenado ou quando for algo urgente, pode interromper uma sessão quando sentir que algo não esta dando certo. Um top que opta por ter um escravo nessa relação deve ser capaz não apenas de ordenar, mas sim observar, liderar, ser capaz de fazer com que seu escravo sempre se sinta bem psicologicamente e fisicamente. O escravo que opta por esse tipo de relação deve ter em mente que não deve ser subserviente, que deve estar disposto a observar suas próprias atitudes. Essa relação requer extrema confiança de ambos. Dizem que as bases mais adequadas para este tipo de relação é a CCC e o RACK.

Nenhum comentário:

Postar um comentário